Pesquise no blog:

Carregando...

Tradutor

terça-feira, 29 de novembro de 2016

A vida é um sopro...


E só...
Nunca sabemos quando ela irá passar feito uma brisa suave ou um furacão...
Precisamos amar mais. Todos os dias!
O tempo nosso sobre essa terra é incerto...
Incerto até demais...



quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Você é o suficiente...


"Pare de comparar onde você está com o local onde todo mundo está. Isso não vai movê-lo mais à frente, melhorar a sua situação, ou ajudá-lo a encontrar a paz. Isso só alimenta a sua vergonha, combustíveis de seus sentimentos de inadequação que o mantém preso. A realidade é que não há um caminho correto na vida. Todo mundo tem seu próprio caminho único. Um caminho que é certo para alguém não será necessariamente um caminho que é certo para você. E isso é bom.  Sua viagem não é certa ou errada, boa ou ruim. É apenas diferente. Sua vida não é feita para se parecer com a de outra pessoa, porque você não é como qualquer outra pessoa. Você tem seu jeito próprio com um único conjunto de objetivos, obstáculos, sonhos e necessidades. Então pare de comparar, e comece a viver.
Você pode não ter chegado onde você pretende ir, mas acredite, pela primeira vez, que você está onde precisava estar.. Confie que você está no lugar certo, na hora certa. 
Confie que sua vida é o suficiente. Confie que você é o suficiente."

 Daniell Koepke



terça-feira, 22 de novembro de 2016

Elegância é algo que a gente carrega, não veste!



Ser elegante vai além de ter bom gosto com roupas e saber se vestir. Elegância é algo que a gente carrega e não veste.


Regras de etiqueta da vida e não do armário para uma vida onde elegância é sinônimo de educação e bom comportamento.

Sabe o que é mesmo elegante? Ter bom senso e respeito.

Não é preciso estar em cima de um salto alto ou dentro de um terno caríssimo para ser elegante. 

As atitudes enfeiam pessoas que não tem bom comportamento.

A elegância está na simplicidade de um bom dia sincero para o porteiro que passou a noite toda acordado, no falar baixo quando o outro está perto, no saber ouvir quando o outro fala, e no saber sorrir quando isso é tudo o que você pode oferecer.

No saber agir sem agredir.
Uma pessoa elegante tem encantamento na voz, fala com propriedade e tem jeito com as palavras. Sabe chamar a atenção sem ser rude, saber observar sem se intrometer, sabe respeitar o espaço alheio.

A elegância está no tom da voz e no silêncio que também comunica. Na forma de se posicionar quando precisa, no jeito de ver o mundo.

Uma pessoa elegante não vive de fofocas, não inventa mentiras e não se mete em baixaria. Quem é elegante tem positividade, atrai pessoas do bem, vibra com a vida, com os sucessos, torce pelo outro, carrega alegrias e otimismo, e sente com verdade. Não sabe viver de oportunismos, sabe se colocar nas oportunidades e não puxa saco nem tapete.

Elegância está no “com licença” e “muito obrigado”. No reconhecimento do esforço, na empatia e na colaboração. Está na mão que ajuda, está também na gratidão.

E quanto mais conheço pessoas, mais percebo que a elegância está vestida de simplicidade e não de rótulos e invólucros sociais. Encontrei mais elegância calçada de chinelos que vestida de etiquetas, e isso não tem haver com situação financeira, mas com referência de vida, criação e sabedoria.

Encontrei a elegância no ser e não no ter, e percebi que é mais elegante aqueles que se vestem de amor.

Texto de Anieli Talon
imagem:google


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

A existência é mais sábia que você...



A existência é mais sábia que você.
Então o que quer que ela lhe dê... pode ser amargo, mas é remédio. 
Pode não parecer doce no início, mas finalmente você verá que lhe proporcionou algo que apenas um único estado mental não poderia ter lhe dado. Sendo assim, o que quer que esteja acontecendo, é bom. Vá com calma. Isso não é para sempre, isso também vai mudar. 
Mas não faça nenhum esforço para mudar. Deixe isso com a existência. É a isto que chamo de confiança. A existência é mais sábia que você e irá lhe proporcionar todas as oportunidades necessárias para o seu crescimento.

Osho


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Minha falta de auto estima...e a resposta dos Abraham


Você só vai parar de sofrer quando tomar consciência de que só o amor e o bem estar trazem aquilo que faz sua alma cantar.!!!!


Este é um trecho de uma conversa com Abraham, onde o convidado falava sobre a sua falta de auto estima. Ouça toda a conversa no vídeo abraixo! Vale a pena! :)

Convidado: “Minha falta de autoestima tem sido um problema durante toda minha vida.”

Abraham: “É claro e você sabe porquê? Porque a fonte dentro de você te adora tanto que nada te mutila mais do que se focar de uma forma que está em desacordo com o que a Fonte sente.
(...) E a Fonte dentro de você jamais concordou com isso. Não é interessante que o sentimento de falta de autoestima, aquele sentimento vazio, cru, horrível de desapontamento, culpa e até mesmo de medo, são indicadores de que seu pensamento é tão disparatado em comparação à Fonte?
(...) Então quando tiver esse sentimento vazio que chama de insuficiência, desmerecimento ou baixa autoestima, pare e ria a partir de agora e diga: -‘Ah!!! A razão pelo qual esse sentimento é tão vazio é porque é falso!’ Emoção negativa significa: esse pensamento é falso! (...) Tem que ser um pensamento falso porque se eu estivesse no feixe de luz, estaria preenchido pela Fonte.
(...) A Fonte te ama porque a Fonte sabe quem você é. E quando você não se ama, se afasta dela.
(...) Não peça para as pessoas fora do vortex gostarem de você, elas não podem.

Abraham Hicks




Maravilhoso!

A semente de mostarda...


Quando Jesus disse: "O Reino de Deus é como a semente de mostarda", estava dizendo milhões de coisas. Esta é a beleza da parábola: com quase nada, quanta coisa pode ser dita! 
Quando a semente morre, surge o universo, a árvore, o Reino de Deus. 
Se você estiver procurando este reino em algum outro lugar, estará procurando em vão. 
Se quiser encontrar o Reino de Deus, terá descer como a semente e morrer.
Então, de repente, a árvore surgirá. 
Você não mais existirá, apenas Deus, você nunca encontrará Deus. 
Se você estiver presente, Deus não estará. 
Quando você desaparecer, Deus surgirá. 
Na realidade, o encontro não acontece.
Quando VOCÊ não existe, Deus está presente — o vazio em suas mãos. 
Quando você não é mais ninguém, Deus está presente. 
Novamente um paradoxo: a semente contém a árvore, mas a semente também pode matar a árvore. Se a semente ficar com medo da morte, então o próprio invólucro tomar-se-á uma prisão; a própria casca que estava protegendo a árvore antes dela encontrar o solo certo tornar-se-á uma prisão — então a árvore morrerá na semente.
Vocês são como sementes que se tornaram prisões. 
Buda é uma semente, Jesus é uma semente, cuja casca não é mais uma prisão; é uma semente, uma casca que morreu, dando origem a uma árvore.
Ele lhes disse: É como a semente da mostarda — a menor entre todas as sementes, mas que quando cai em terra fértil deu origem a uma grande arvore que se torna abrigo para todos os pássaros do Céu.

Osho
imagem:google

Anular o ego...para que Deus possa se manifestar...


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

A ingratidão tem sua lógica...


"A ingratidão tem sua lógica: quem dá é o 'rico' e quem recebe é o 'pobre'. Daí a inveja! Poucos são os que aceitam ajuda com dignidade e gratidão. Da admiração derivam dois sentimentos: o amor e a inveja. Ela penderá para um ou outro lado conforme o caráter e a autoestima do observador." 

 Flávio Gikovate
imagem:google

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Quando alguém lhe provocar...



Quando alguém lhe provocar,
fazendo aflorar seus sentimentos mais negativos...
Pare...
Pensa...
Agradeça!
Isso mesmo! Agradeça pela oportunidade que esta pessoa
está lhe dando...pois ela está lhe mostrando exatamente o que
você precisa melhorar.

André Lima
imagemdaqui

Fique atento! ;)

terça-feira, 8 de novembro de 2016

O poder das crenças!


Sua realidade física externa é uma curva de retorno (feedback), que permite que você conheça quais são as suas crenças.

Deste modo, se a sua realidade externa não é a preferida, você pode mudar as suas crenças, a fim de mudar a sua realidade externa.


A curva de retorno:

Suas Crenças → sua Percepção da realidade → seus Sentimentos → seus Pensamentos, que então reforçam as Crenças originais.

Seus sentimentos são o resultado de suas crenças.

Para descobrir quais são as suas crenças, você pode trabalhar de forma inversa e perguntar a si mesmo:

"Em que eu tenho que acreditar, para deixar de me sentir deste modo?"

"Em que eu tenho que acreditar, para deixar de observar este tipo de realidade física?"

Quando você muda suas crenças sobre qualquer realidade ou questão em particular, você instantaneamente também muda a maneira como se sente com relação a essa determinada realidade ou questão.

É por isso que a interpretação (crença) que você dá a qualquer situação determina a maneira como você se sente com relação a ela."


Trecho do eBook "Manual Completo da Realidade" por Bashar.
imagem:google




sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Mude sua energia em 3,2,1...


7 estratégias internas (o que você deve fazer de dentro para fora).

1.Pense sempre, de forma positiva.

Toda vez que um pensamento negativo vier à sua cabeça, troque-o por outro! Para isso, é preciso muita disciplina mental. Você não adquire isso do dia para a noite; assim como um “atleta”, treine muito.

2.Não tenha medo de nada e ninguém. 

O medo é uma das maiores causas de nossas perturbações interiores. Tenha fé em você mesmo. Sentir medo é acreditar que os outros são poderosos. Não dê poder ao próximo.

3. Não se queixe. 

Quando você reclama, tal qual um ímã, você atrai para si toda a carga negativa de suas próprias palavras. A maioria das coisas que acabam dando errado, começa a se materializar quando nos lamentamos.

4. Risque a palavra “culpa” do seu dicionário. 

Não se permita esta sensação, pois quando nos punimos, abrimos nossa retaguarda para espíritos opressores e agressores, que vibram com nossa melancolia. Ignore-os.

5. Não deixe que interferências externas tumultuem o seu cotidiano

Livre-se de fofocas, comentários maldosos e gente deprimida. Isto é contagioso. Seja prestativo com quem presta. Sintonize com gente positiva e alto astral.

6. Não se aborreça com facilidade e nem dê importância às pequenas coisas.

Quando nos irritamos, envenenamos nosso corpo e nossa mente. Procure conviver com serenidade e quando tiver vontade de explodir, conte até dez.

7. Viva o presente. 

O ansioso vive no futuro. O rancoroso, vive no passado. Aproveite o aqui e agora. Nada se repete, tudo passa. Faça o seu dia valer a pena. Não perca tempo com melindres e preocupações, pois só trazem doenças.

Fonte: Veg11


Não é fácil...
É um treinamento...


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

O Ser humano é estranho...


"O Ser humano é estranho...
Briga com os vivos, e leva flores para os mortos;
Lança os vivos na sarjeta, e pede um "bom lugar para os mortos";
Se afasta dos vivos, e se agarra desesperados quando estes morrem;
Fica anos sem conversar com um vivo, e se desculpa, faz homenagens, quando este morre;
Não tem tempo para visitar o vivo, mas tem o dia todo para ir ao velório do morto;
Critica, fala mal, ofende o vivo, mas o santifica quando este morre;
Não liga, não abraça, não se importam com os vivos, mas se autoflagelam quando estes morrem...
Aos olhos cegos do homem, o valor do ser humano está na sua morte, e não na sua vida.
É bom repensarmos isto, enquanto estamos vivos!"

Papa Francisco

Refletimos...



terça-feira, 1 de novembro de 2016

Amor próprio não é narcisismo...


Amor próprio não tem nada a ver com ser apaixonado por sua imagem no espelho - amor próprio não é narcisismo.
Amor próprio tem a ver com exercitar suas escolhas, independentemente do que outros ou outras pensem ou digam. Amor próprio tem a ver com seguir seu contentamento, mesmo que ele seja considerado tolo ou fútil por quem não habita o seu corpo e nem conhece o interior de sua alma. Amor próprio é saber que, a despeito de tendências, ou de probabilidades, ou, ainda, das estatísticas que apontam que ir pelo caminho da direita é mais seguro, ou conveniente... É saber que o seu, ah!, o seu - o seu é o caminho da esquerda, e é caminhar por este caminho mesmo que poucos, ou nenhuns, caminhem contigo.
Porque você sabe o que te move, e ninguém mais. Porque você conhece o que existe dentro do teu coração. Se engana quem pensa que é necessária beleza física para que o amor próprio exista - por mais que eu NUNCA tenha conhecido alguém que se ama de verdade e seja feio; vejam bem, o amor próprio traz com ele uma harmonia ímpar, que não tem nada a ver com esteriótipos ou ícones.
Tem a ver com um contentamento que transborda pelos olhos, pelo sorriso, pelas orelhas até. É como se cada poro da pele sorrisse a beleza que se sabe que existe do lado de dentro dos limites do corpo. Não tem nada a ver com magreza, ou com gordura, ou com dentes tortos ou brancos, com cabelos hidratados, com ser careca, com ser alto ou baixo - que isso é a tridimensionalidade nos distraindo de ser quem somos.
Amor próprio tem a ver com respeitar as próprias escolhas e fazê-las conscientemente. Que, se não, a vida é perdida. Que, se não, a vida é vazia. Que, se não, a vida não é vivida: é sobrevivida.

Flavia Melissa
imagem: christian schloe 


5 feridas emocionais da infância que persistem quando somos adultos



Os problemas vividos na infância podem provocar algumas cicatrizes emocionais que podem predizer como será nossa qualidade de vida quando adultos. Além disso, podem influenciar significativamente na forma como os nossos filhos se relacionarão conosco e com outras pessoas no futuro. 

Este artigo aborda cinco das feridas emocionais ou experiências dolorosas da infância, que, aliadas a uma parte da nossa personalidade, nos ajudará a observar quais são as nossas próprias feridas:

1- O medo do abandono

A solidão é o pior inimigo para quem foi negligenciado ou abandonado na infância. Quem já sofreu abandono tende a abandonar prematuramente as pessoas com quem mantém um relacionamento ou seus projetos de vida por medo de ser abandonado novamente.
Seria algo como “eu vou antes de você me deixar”, “ninguém me apóia, não estou disposto a suportar isso”, “se você for, não precisa mais voltar…”.

As pessoas que têm feridas emocionais de abandono na infância precisam trabalhar o medo da solidão, o medo de ser rejeitado e as barreiras invisíveis ao contato físico.
A ferida causada pelo abandono não é fácil de curar, mas, você consegue perceber uma melhora quando esse medo da solidão começa a desaparecer dando lugar a um diálogo interno positivo e esperançoso.

2- O medo da rejeição

O medo da rejeição é uma das feridas emocionais mais profundas, porque implica na rejeição de nós mesmos, do nosso interior, ou seja, das nossas experiências, dos nossos pensamentos e dos nossos sentimentos.

Esse medo pode aparecer por vários fatores como, por exemplo, através da rejeição dos pais, da família ou de colegas e gerar pensamentos de auto-rejeição e de auto-desqualificação.

A pessoa que tem medo de ser rejeitada não se sente digna de receber afeto ou de ser compreendida e por isso se isola em seu vazio interior.

É provável que as pessoas que sofreram rejeição sejam evasivas e por isso é necessário trabalhar os seus temores, os medos internos e as situações que geram pânico.

Se este for o seu caso, ocupe o seu lugar no mundo, arrisque-se, tome suas próprias decisões. Faça isso aos poucos e perceba que você ficará menos incomodado se alguém se afastar ou se esquecer de você em algum momento, você não levará isso para o lado pessoal.

3- A Humilhação


Esta ferida surge quando, em algum momento, sentimos que outros nos desaprovam ou nos criticam.
Podemos gerar esse tipo de problemas nos nossos filhos se dissermos que são maus, estúpidos ou se os compararmos à outras crianças; isto destrói a autoestima deles.
As feridas emocionais de humilhação geram uma personalidade dependente. Além disso, como mecanismo de defesa, a criança pode aprender a ser “tirana” e egoísta além de repetir as humilhações humilhando outros.

Ter sofrido esse tipo de experiência requer que trabalhemos a nossa independência, nossa liberdade, a compreensão das nossas necessidades e medos, assim como as nossas prioridades.

4- A traição e o medo de confiar

Surge quando a criança se sente traída por um de seus pais, principalmente no descumprimento de promessas. Isso cria uma desconfiança que pode ser transformada em inveja e em outros sentimentos negativos por não se sentirem merecedores do que foi prometido ou das coisas que outras pessoas possuem.

Sofrer uma traição na infância constrói uma pessoa controladora. Se sofreu estes problemas na infância, você provavelmente sente a necessidade de exercer algum controle sobre os outros, o que normalmente se justifica como sendo uma "personalidade forte".

Essas pessoas tendem a confirmar seus erros por meio de suas ações. Para curar as feridas emocionais da traição, é necessário trabalhar a paciência, a tolerância e o saber viver, assim como aprender a estar sozinho e a ter responsabilidades.

5- A injustiça

A injustiça como ferida emocional se origina em um ambiente onde os cuidadores primários são frios e autoritários, isso porque uma exigência exagerada de exercer limites gera sentimentos de impotência e inutilidade, tanto na infância como na idade adulta.

A conseqüência direta da injustiça na conduta daqueles que a sofreram é a rigidez, pois estas pessoas tendem a querer ser muito importantes e adquirir grande poder. Além disso, é provável que a pessoa desenvolva um fanatismo pela ordem e pelo perfeccionismo, bem como a incapacidade de tomar decisões com confiança.

Requer trabalhar a desconfiança e a rigidez mental, criando o máximo de flexibilidade e permitindo-se confiar em outros.

Agora que nós já sabemos sobre as cinco feridas emocionais que podem afetar nosso bem-estar, a nossa saúde e a nossa capacidade de nos desenvolver como pessoas, podemos começar a saná-las.

Fonte: LaMenteEsMaravillosa/Psiconlinews


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...