Pesquisar este blog

Tradutor

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Qual a motivação por trás do querer?


Gosto de falar sobre poder do pensamento, metafísica, lei da atração e afins.

Um assunto me chama a atenção, mas percebo que passa despercebido pela maioria dos que leem sobre o assunto: o que leva alguém a querer algo?

Em última instância: se sentir bem. Alguém, quando alcança um objetivo, se sente realizado, pleno, alegre, BEM.

O que se segue a partir daí é muito interessante: noto que pessoas com realizações similares nem sempre têm o mesmo fim da história.

Um exemplo: duas irmãs se casam. Uma, dá certo no casamento;a outra, vive pelos cantos, mal amada pelo marido; dois amigos realizam o desejo de comprar seus próprios carros: um, dirige tranquilamente, o carro não dá problema; o outro, está sempre com o carro (novo!) na oficina, onde quer que estacione, na volta, vê um arranhão...

O quê acontece no caso da irmã bem casada e do amigo do carro “feliz” e no caso da  irmã mal amada e do amigo do carro “urucubaquento”?

MUITAS COISAS.
E eu quero falar sobre UMA: o que motivou o desejo dessas pessoas.      

Algo óbvio é: a vibração que cada um emana na maior parte do tempo, mas existe um pequeno detalhe ignorado por muitos e que faz uma diferença E-NOR-ME no resultado da sua manifestação: DE QUE PLATAFORMA EMOCIONAL VOCÊ PARTE QUANDO DESEJA ALGO?

Se uma mulher deseja se casar porque sabe que encontrou um parceiro de vida com quem valha a pena dividir sua intimidade, ela está partindo da plataforma emocional correta. Mas, casar: para não ficar solteira, para sair da casa dos pais ou porque todas as amigas já casaram... é uma plataforma emocional FALIDA, a mulher pode conseguir o desejo dela sim, mas a consequência será péssima.

Se alguém deseja um bem material porque é um barato para ele, vai facilitar a vida, a locomoção, a moradia, o lazer, a plataforma emocional, a motivação do desejo está ok; entretanto, se estiver tentando se auto-afirmar ou preencher materialmente o que só emocionalmente conseguiria, pode e vai conseguir e o prejuízo é certo.

Esses são meros exemplos e esta é uma das causas que explicam o “conseguir e dar errado”, porque nossa Mente é cheia de arquivos e registros, dentre eles: de ganhos e  perdas. Se materializarão os que tiverem mais atenção emocional, os que forem mais ativados.

Uma memória não desativada no subconsciente encontrando a OPORTUNIDADE de ocorrer, manifesta uma situação. Uma memória é uma programação que será fielmente externada em forma de eventos e circunstâncias.

Programação + oportunidade = materialização.

Então, a dica desta semana é: quando desejar alguma coisa, elabore uma lista com vários motivos do por quê seu desejo é bom para VOCÊ.

E veja as resistências subconscientes desmoronarem.

Rayra Kalidan


Achei esse texto da Rayra muito interessante e reflexivo.
Antes de querer algo, pergunte a si mesmo o motivo desse querer. 
Veja se está partindo de uma plataforma emocional correta, se não está querendo algo apenas para satisfazer o ego e se auto afirmar.
O que nos "motiva" é a chave de tudo!
Questione-se! 

Beijos reflexivos...


2 comentários :

  1. Augusto Cury fala algo muito parecido no livro ANSIEDADE-como enfrentar o mal do século. Achei muito interessante também, e tenho tentado mudar meu modo de pensar e agir diante do que acontece. Teus post parecem sempre encaixar com o que estou precisando no momento. Obrigada. bjo

    ResponderExcluir
  2. Precisamente!...
    Palavras mais que assertivas!
    Se as pessoas soubessem como os seus pensamentos e sua vibração vai influenciar os resultados, perderiam mais tempo a analisar-se... ;)

    (gosto do seu cantinho, tem uma óptima energia!) :)

    ResponderExcluir

Fico feliz com a sua companhia!
E fico mais feliz ainda quando você deixa um comentário!
Obrigada viu! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...